Se, quando temos um pedido para apresentar aos poderosos deste mundo, os abordamos com humildade e respeito, com muito maior razão temos de suplicar ao Senhor Deus do universo com grande humildade e pureza de devoção. Tenhamos presente que não é a abundância de palavras, mas a sinceridade do coração e as lágrimas de compunção que nos tornam dignos de sermos ouvidos. A oração deve, pois, ser breve e pura, a menos que a graça da inspiração divina nos incline a prolongá-la.


Livros recomendados

A Cinza do PurgatórioA Virgem Maria: 58 Catequeses do Papa João Paulo II sobre Nossa SenhoraComo Provar que Deus Existe





Comentários no Facebook:

comments