«Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre». […] Com efeito, eis que as gerações te chamam bem-aventurada, como tu declaraste (Lc 1,48). As filhas de Jerusalém, isto é, da Igreja viram-te e proclamaram a tua felicidade. […] Tu és, na verdade, o trono real junto do qual se encontravam os anjos contemplando o seu Senhor e Criador, que nele estava sentado (Dn 7,9). Tu tornaste-te o Éden espiritual, mais sagrado e mais divino que o antigo Éden. No primeiro, habitava o Adão terreno; em ti, habita o Senhor que veio dos céus (1Cor 15,47). A arca de Noé prefigurou-te, ela que salvou o gérmen da segunda criação, pois tu geraste a Cristo, a salvação do mundo, que submergiu o pecado e acalmou as vagas.

Foi a ti que a sarça ardente revelou antecipadamente, que as tábuas escritas por Deus desenharam (Ex 31,18), que a arca da aliança narrou; foi a ti que a urna de ouro, o candelabro […] e o ramo florido de Aarão (Nm 17,23) manifestamente prefiguraram. […] E já me esquecia da escada de Jacob. Tal como Jacob viu o céu unido à terra pelas extremidades da escada, os anjos a subirem e descerem por ela e aquele que é realmente o forte e invencível travar com ele uma luta simbólica, assim tu mesma te tornaste a mediadora e a escada por onde Deus desceu até nós, tomando sobre Si as fraquezas da nossa substância, abraçando-a e unindo-Se estreitamente a ela.     

      


Livros recomendados

A Verdadeira História de Amor30 Minutos Para Mudar o Seu DiaO Homem Eterno





Comentários no Facebook:

comments