Vinde, prostremo-nos em terra,
adoremos o Senhor que nos criou.
O Senhor é o nosso Deus
e nós o seu povo, as ovelhas do seu rebanho.
Quem dera ouvísseis hoje a sua voz:
«Não endureçais os vossos corações,
como em Meriba, como no dia de Massa no deserto,
onde vossos pais Me tentaram e provocaram,
apesar de terem visto as minhas obras».
Durante quarenta anos essa geração Me desgostou
e Eu disse: É um povo de coração transviado,
que não conheceu os meus caminhos.
Por isso jurei na minha ira:
Não entrarão no meu repouso».


Livros recomendados

1964 — O ELO PERDIDO – O Brasil nos arquivos do serviço secreto comunistaFé, Verdade, Tolerância: O Cristianismo e as Grandes Religiões do MundoO Cristão Bem Formado – 2ª Edição





Comentários no Facebook:

comments