Quando Jesus Se apresentava como o Bom Pastor, relacionava-Se com uma longa tradição bíblica, já familiar aos seus discípulos e aos outros ouvintes. Com efeito, o Deus de Israel tinha-Se manifestado sempre como o Bom Pastor do seu povo: tinha ouvido os seus lamentos (cf Ex 3,7); tinha-o libertado da terra da escravidão (cf Dt 5,6); «o Senhor é quem dirige as batalhas» (Ex 15,3) durante o fatigante caminho no deserto para a pátria prometida (cf Sl 78, 52s). […] Século após século, o Senhor tinha continuado a guiá-lo, ou melhor, a levá-lo nos braços, como o pastor leva os cordeiros (cf Is 40,11). Tinha-o levado mesmo depois da punição do exílio, chamando novamente e reunindo as ovelhas dispersas para as reconduzir à terra dos seus pais (cf Is 49,8s).

Era por este motivo que os antigos crentes se dirigiam filialmente a Deus chamando-Lhe o seu Pastor: «O Senhor é o meu pastor, nada me falta; em verdes prados me apascenta; conduz-me junto das águas refrescantes para repousar; reconforta a minha alma e guia-me pelos caminhos retos» (Sl 23,1s). Eles sabiam que o Senhor era um Pastor bom, paciente, às vezes severo, mas sempre misericordioso com o seu povo, ou melhor, com todos os homens. […]

Quando, na plenitude dos tempos, chegou Jesus, encontrou o seu povo «como ovelhas sem pastor» (Mt 9,36) e encheu-Se de compaixão. Nele, as profecias realizavam-se e terminavam os tempos da expetativa. Com as mesmas palavras da tradição bíblica (cf Ez 34,11-16), Jesus apresentou-Se como o Bom Pastor que conhece as suas ovelhas, as chama pelo nome e dá a vida por elas (cf Jo 10,11s). E assim «haverá um só rebanho e um só Pastor» (Jo 10,16).





Livros Recomendados

O Diabo, Lutero e o ProtestantismoPerguntas e Respostas Concisas e Familiares às Objeções Mais Vulgares Contra a ReligiãoO Evangelho de São Mateus – Cadernos de Estudo Bíblico

Apoia-se: Seja um apoiador da Bíblia Católica Online.

Comentários no Facebook:

comments