De vez em quando somos confrontados por alguém argumentando que Cristo era socialista porque advogava em defesa dos necessitados, e não há nada mais falso. Não apenas porque o socialismo piora a condição de todos, mas porque o socialismo renega a própria natureza humana que Cristo quis elevar. Fazer do velho o novo homem não é uma ação do Estado, mas uma obra da graça que transcende a própria vida material, e essa ideia se completa com a afirmação de que o Reino de Cristo não é nesse mundo.

Com o cuidado de não incorrer no erro contrário, não é possível afirmar que Cristo era um socialista. Antes, queria que entendêssemos nosso papel na salvação do nosso irmão. O mandamento é “amai-vos uns aos outros”, e esse amor não se resume em defesa do capitalismo ou do socialismo, mas na defesa da ação humana em favor dos corpos e almas que aqui estão nesse vale de lágrimas.

Tradução: Gabriel Bruno






Livros recomendados

O Evangelho de São Marcos – Cadernos de Estudo BíblicoSanto Tomás de Aquino (Chesterton – Ecclesiae)Catena Aurea – Vol. 1 – Evangelho de São Mateus