Elena Alba. Foto: La Razón

MADRI, 20 Ago. 13 / 07:48 am (ACI/EWTN Noticias).- Elena Alba é uma das centenas de doentes que o Papa Francisco confortou em suas deferentes audiências. É espanhola, tem 58 anos e mora em Madri. Há 10 anos luta contra diversas doenças, entre elas dois cânceres, sendo que um deles foi diagnosticado em dezembro no cérebro. Nem a operação para extirpá-lo, nem as sessões de radioterapia e quimioterapia fizeram que desaparecesse.

Ante as poucas esperanças que os médicos deram, decidiu que uma das coisas que queria fazer em sua vida era ver o Papa. E assim o fez. Conforme conta ao jornal La Razón, apesar dos riscos que implicava para a sua delicada saúde viajar até Roma, Elena disse aos seus filhos que estava decidida a viajar ao Vaticano.

Assim, ajudada pelas irmãs da Imaculada Conceição de Maria, Elena viajou até o Vaticano onde em 8 de maio pôde compartilhar uns minutos com o Papa em uma audiência privada com doentes graves. Nesses dias, a mulher teve uma hemiplegia no lado esquerdo do corpo, mas ao chegar à Santa Sé “comecei a recuperar a mobilidade”, comentou.

Antes da chegada de Francisco, durante a espera, Elena começou a sentir-se mal. O Papa tinha dado prioridade absoluta às crianças e parecia que não iam poder entrar na audiência todos os doentes que esperavam ali. “Tinha gente com doenças horríveis”, recorda. Elena tinha sido operada do tumor cerebral e ainda era visível uma grande cicatriz em sua cabeça.

O Papa chegou e começou a abraçar e abençoar as crianças. “Sua expressão ia se transformando”, assegura. “Quando chegou perto de mim, pegou o lenço, o vi soluçar e secar-se as lágrimas”. Elena queria ler uma carta para ele, mas foi impossível que o Papa ficasse ali mais tempo, por isso ela a entregou e o Santo Padre a guardou para poder lê-la e responder depois. “Foi um momento de invasão do Espírito Santo”, conta Elena.

Veja tambem  Intervenção militar na Síria seria uma catástrofe, diz Patriarca caldeu católico

Agora que lhe faltam as forças, Elena assegura que continua adiante “com a força de Deus”. E agora vive “com alegria, felicidade e, sobretudo, agradecida. Até que Deus queira”.


Livros recomendados

O Evangelho de MariaCatólicos, Voltem para CasaEu Rezei por Ti





Comentários no Facebook:

comments