Apresenta em sua catequese a outro Padre Apostólico, São Paulino de Nola

VATICANO, 12 Dez. 07 / 12:00 am (ACI).- Na Audiência Geral de hoje celebrada no Salão Paulo VI no Vaticano, o Papa Bento XVI apresentou a figura e o pensamento de São Paulino de Nola, Bispo contemporâneo de Santo Agostinho, destacando que “a teologia de nosso tempo encontrou no conceito de comunhão a chave para entrar no mistério da Igreja“.

Prosseguindo sua catequese sobre os Padres Apostólicos, o Santo Padre explicou ante milhares de paroquianos que no a vida do santo, em sua juventude governador de Campania, no sul da Itália, o contatocom a fé singela e intensado povo foi o início de seu caminho de conversão, cheio de numerosas dificuldades e provas.

“O encontro com Cristo foi o ponto de chegada de um caminho árduo“, durante o qual uma série de circunstâncias adversas “fizeram-lhe ver a expiração das coisas”, assinalou o Pontífice durante sua catequese.

Depois da morte de seu filho recém-nascido, decidiu junto a sua mulher, Terasia, dar seus bens aos pobres, viver em casta fraternidade e fundar uma comunidade monástica. Sua atividade pastoral se caracterizou, recordou o Pontífice, “por sua atenção particular para os pobres”, deixando a imagem de um “autêntico pastor da caridade”.

“Sua conversão impressionou a seus contemporâneos, que lhe reprovavam o desprezo pelos bens materiais e o abandono de sua vocação de literato”, assinalou o Papa. E Paulino replicava que “sua entrega aos pobres não significava desprezo pelos bens terrenos, mas pelo contrário, valorizá-los ainda mais para o fim mais alto da caridade”.

Assinalou deste modo que em seus escritos, São Paulino “destaca em particular o sentido da Igreja como mistério de unidade. Vivia a comunhão sobre tudo através de uma decidida prática da amizade espiritual” e “é impressionante a ênfase com que o santo canta a amizade como manifestação do único corpo de Cristo animado pelo Espírito Santo”.

Veja tambem  Educar os jovens na fé

Finalmente, Bento XVI destacou que “a teologia de nosso tempo encontrou no conceito de comunhão a chave para entrar no mistério da Igreja”.

“O testemunho de São Paulino de Nola nos ajuda a sentir a Igreja como nos apresenta isso o Concílio Vaticano II, como sacramento da união íntima com Deus e da unidade de todo o gênero humano“, concluiu.




Comentários no Facebook:

comments