aaaaa

No meu primeiro livro, ó Teófilo, narrei todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar, desde o princípio
até ao dia em que foi elevado ao Céu, depois de ter dado, pelo Espírito Santo, as suas instruções aos Apóstolos que escolhera.

Foi também a eles que, depois da sua paixão, Se apresentou vivo com muitas provas, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando-lhes do reino de Deus.

Um dia em que estava com eles à mesa, mandou-lhes que não se afastassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, «da qual – disse Ele – Me ouvistes falar.

Na verdade, João batizou com água; vós, porém, sereis batizados no Espírito Santo, dentro de poucos dias».

Aqueles que se tinham reunido começaram a perguntar: «Senhor, é agora que vais restaurar o reino de Israel?».

Ele respondeu-lhes: «Não vos compete saber os tempos ou os momentos que o Pai determinou com a sua autoridade;
mas recebereis a força do Espírito Santo, que descerá sobre vós, e sereis minhas testemunhas em Jerusalém e em toda a Judeia e na Samaria, e até aos confins da terra».

Dito isto, elevou-Se à vista deles, e uma nuvem escondeu-O a seus olhos.

E estando de olhar fito no Céu, enquanto Jesus Se afastava, apresentaram-se-lhes dois homens vestidos de branco,
que disseram: «Homens da Galileia, porque estais a olhar para o Céu? Esse Jesus, que do meio de vós foi elevado para o Céu, virá do mesmo modo que O vistes ir para o Céu».



Povos todos, batei palmas,
aclamai a Deus com brados de alegria,
porque o Senhor, o Altíssimo, é terrível,
o rei soberano de toda a terra.

Deus subiu entre aclamações,
o Senhor subiu ao som da trombeta.

Cantai hinos a Deus, cantai,
cantai hinos ao nosso rei, cantai.

Deus é rei do universo:
cantai os hinos mais belos.

Deus reina sobre os povos,
Deus está sentado no seu trono sagrado.



Irmãos: O Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda um espírito de sabedoria e de revelação para O conhecerdes plenamente
e ilumine os olhos do vosso coração, para compreenderdes a esperança a que fostes chamados, os tesouros de glória da sua herança entre os santos
e a incomensurável grandeza do seu poder para nós os crentes. Assim
o mostra a eficácia da poderosa força que exerceu em Cristo, que Ele ressuscitou dos mortos e colocou à sua direita nos Céus,
acima de todo o Principado, Poder, Virtude e Soberania, acima de todo o nome que é pronunciado, não só neste mundo, mas também no mundo que há-de vir.

Tudo submeteu aos seus pés e pô-l’O acima de todas as coisas, como cabeça de toda a Igreja,
que é o seu corpo, a plenitude d’Aquele que preenche tudo em todos.



Naquele tempo, os onze discípulos partiram para a Galileia, em direção ao monte que Jesus lhes indicara.

Quando O viram, adoraram-n’O; mas alguns ainda duvidaram.

Jesus aproximou-Se e disse-lhes: «Todo o poder Me foi dado no Céu e na terra.

Ide e ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo,
ensinando-as a cumprir tudo o que vos mandei. Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos».



Nós Te damos graças, Pai das luzes (Tg 1,17), por nos teres chamado das trevas para a tua luz admirável (1Pe 2,9). Nós Te damos graças por teres, pela tua palavra, feito brilhar a luz nas trevas, e a teres feito luzir nos nossos corações, para nos iluminar com o conhecimento do rosto de Cristo Jesus (2Cor 4,6). Sim, a verdadeira luz – mais do que isso, a vida eterna – consiste em Te conhecer, a Ti, único Deus, e ao teu enviado, Jesus Cristo.

Nós Te conhecemos, uma vez que conhecemos Jesus, porque o Pai e o Filho são um (Jo 10,30). Nós Te conhecemos pela fé, é verdade, e temo-la como garantia segura do conhecimento na visão. De agora até lá, contudo, aumenta a nossa fé (Lc 17,5), conduz-nos de fé em fé, de claridade em claridade, como que sob a moção do teu Espírito, para que penetremos cada dia mais nas profundezas da luz. Assim, a nossa fé crescerá, a nossa ciência tornar-se-á mais rica, a nossa caridade mais fervorosa e mais universal, até que a fé nos conduza ao face a face.



“Façamos o bem, enquanto temos tempo à nossa disposição. Assim, daremos glória ao nosso Pai celeste, santificaremos nós mesmos e daremos bom exemplo aos outros.” São Padre Pio de Pietrelcina