Tag: Argentina (Página 1 de 2)

O Papa às seleções da Itália e Argentina: Rezem por mim para que jogue uma partida honesta e corajosa no “campo” de Deus

VATICANO, 13 Ago. 13 / 02:23 pm (ACI/EWTN Noticias).- Ao receber em audiência nesta manhã aos jogadores das seleções de futebol da Argentina e Itália, que jogarão um amistoso em homenagem ao Papa Francisco, o Santo Padre lhes pediu que “rezem por mim, para que também eu, no “campo” no qual Deus me colocou, possa jogar uma partida honesta e corajosa pelo bem de todos nós”.

O Santo Padre também assegurou aos jogadores de futebol que “rezo por vocês, para que possam levar adiante esta vocação tão nobre do esporte. Peço ao Senhor que abençoe vocês e à Virgem Mãe que os proteja”.

Em seu discurso, iniciado em italiano, Francisco reconheceu que “será um pouco difícil, para mim, torcer, mas felizmente é um amistoso… e que seja realmente assim, eu recomendo!”.

O Papa assinalou aos jogadores que “são muito populares: o povo segue muito vocês, não somente quando vocês estão em campo, mas também fora. Esta é uma responsabilidade social!”.

“No jogo, quando vocês estão em campo, encontra-se a beleza, a gratuidade e o companheirismo. Se em uma partida falta isto, perde a força, mesmo se o time vence. Não há lugar para o individualismo, mas tudo é coordenação pelo time”.

O Santo Padre sublinhou que “talvez estas três coisas: beleza, gratuidade, companheirismo encontrem-se resumidas em um termo esportivo que não se deve nunca abandonar: “amadorismo”, amador”.

“Um esportista, mesmo sendo profissional, quando cultiva esta dimensão de “amador”, faz bem à sociedade, constrói o bem comum a partir dos valores da gratuidade, do companheirismo, da beleza”.

“Antes de serem campeões, vocês são homens, pessoas humanas, com os seus pontos fortes e os seus defeitos, com o seu coração e as suas ideias, as suas aspirações e os seus problemas. E então, mesmo se vocês são estes personagens públicos, permanecem homens, no esporte e na vida. Homens, portadores de humanidade”.

O Papa dirigiu aos dirigentes esportivos “um encorajamento para seu trabalho”, assinalando que “o esporte é importante, mas deve ser verdadeiro esporte! O futebol, como algumas outras modalidades, transformou-se um grande negócio! Trabalhem para que não se perca o caráter esportivo”.

“Também vocês promovam esta atitude de “amadores” que, por um lado, elimina definitivamente o risco da discriminação. Quando os times vão por este caminho, o estádio se enriquece humanamente, a violência desaparece e se volta a ver as famílias nas arquibancadas”.

Logo o Papa recordou, com palavras em espanhol, sua infância na Argentina, assinalando que “quando criança, íamos em família ao Gasómetro (o primeiro estádio do Clube San Lorenzo de Almagro), íamos em família, papai, mamãe e as crianças. Voltávamos felizes pra casa, claro, sobretudo na campanha de 46! (em que San Lorenzo obteve seu terceiro título)”.

“Vamos ver se algum de vocês se anima a fazer um gol como o de Pontoni lá, não?”, brincou, em referência a um histórico gol do argentino René Pontoni, jogador do San Lorenzo, durante a temporada de 1946.

O Santo Padre pediu aos atletas e diretores presentes que “vivam o esporte como dom de Deus, uma oportunidade para fazer frutificar seus talentos, mas também uma responsabilidade”.

“Queridos jogadores, gostaria de lembrar especialmente que com seu modo de comportar-se, tanto no campo como fora dele, na vida, vocês são uma referência. Mesmo que não se deem conta, para tantas pessoas que olham para vocês com admiração vocês são um modelo, para o bem ou para o mal. Sejam conscientes disto e deem um exemplo de lealdade, respeito e altruísmo”.

“Vocês –disse Francisco aos jogadores de futebol– também são artífices do entendimento e da paz social, artífices do entendimento e da paz social, de que precisamos tanto. Vocês são referência para tantos jovens e modelo de valores encarnados na vida. Eu tenho confiança em todo o bem que poderão fazer entre a rapaziada”.

O Papa encomenda a vida frágil, indefesa e ameaçada à proteção de Maria

Papa Francisco

VATICANO, 17 Jun. 13 / 10:46 am (ACI/EWTN Noticias).- Em suas palavras prévias à oração do Ângelus, depois de concluir a celebração da Missa pela Jornada da Evangelium Vitae, o Papa Francisco encomendou toda vidahumana, especialmente daqueles frágeis, indefesos e ameaçados, à proteção da Virgem Maria.

O Santo Padre disse pouco antes de começar a oração Mariana do meio-dia que “nos dirigimos agora à Virgem, encomendando à sua proteção materna toda vida humana, especialmente as mais frágeis, indefesas e ameaçadas”.

Francisco agradeceu especialmente àqueles provenientes de todas as partes do mundo para participar do evento de reflexão sobre a vida humana, no marco da Encíclica Evangelium Vitae, do Beato João Paulo II.

“Agradeço de coração a todos vocês que vieram de Roma e de todas as partes da Itália e do mundo, em particular às famílias e a quantos trabalham mais diretamente pela promoção e a tutela da vida” disse.

O Papa também expressou sua saudação cordial “aos 150 membros da Associação ‘Grávida – Argentina’, reunidos na cidade de Pilar. Muito obrigado pelo que fazem! Ânimo e sigam adiante!”.

Confessor do Papa: Francisco pede orações porque sabe que o tentador não dorme

Frei Berislao Ostojic e o então Cardeal Jorge Mario Bergoglio

BUENOS AIRES, 06 Jun. 13 / 01:28 pm (ACI/EWTN Noticias).- O sacerdote franciscano Frei Berislao Ostojic, confessor na Argentina do então Cardeal Jorge Bergoglio, disse que o Papa Francisco é um homem que tem os pés no chão e que pede que rezem por ele porque sabe que “o tentador não dorme”.

O sacerdote disse isto na carta que enviou ao seu irmão Mario Marcos, que nasceu na Argentina, mas que atualmente mora na Croácia. A missiva foi difundida por um portal croata e nesta se oferece uma visão particular do papa Francisco.

No texto, Frei Ostojic se refere ao permanente pedido do Santo Padre “reze por mim”. Recentemente, recorda, o Papa pediu “rezem por mim, para que não me sinta melhor que ninguém”. Neste simples pedido, diz o Pe. Ostojic, “está o seu conceito de autoridade, que é serviço. E como tem os pés no chão e não vive de ilusões, sabe muito bem que o tentador não dorme e que os tesouros de graça se levam em vasos de barro. Isto é puro realismo humano e espiritual”.

Do mesmo modo, advertiu que mesmo que atualmente os meios de comunicação “exaltem ao novo Papa”, os fiéis devem “evitar entusiasmos ingênuos”, já que “a experiência nos ensina que, com frequência, quem hoje exalta, amanhã, por razões ideológicas, tranquilamente estarão na ‘calçada’ oposta”.

“Basta pensar o que acontecerá quando o Santo Padre reafirme o valor de toda vida humana e pronuncie um claro ‘não’ ao aborto, e o que se dirá quando ratificar o matrimônio entre um homem e uma mulher”, e muitas outras questões sensíveis. Então “muitos entusiastas superficiais mudarão de ‘calçada’, e farão com que o Papa sinta o peso da cruz que não se negocia em detrimento da verdade do Evangelho”, assinalou.

O frade também destacou a capacidade do Papa “de estar frente ao Sacrário e beber na intimidade com Cristo as riquezas com as que Jesus enche os corações que lhe abrem para que os ilumine e os fortaleça”.

Nesse sentido, recordou a homilia do então Cardeal Bergoglio quando ordenou Dom Salaberry, jesuíta, e abordou as dificuldades que se apresentariam ao novo bispo. O Arcebispo lhe disse que “quando tudo parecer escuro”, “aprenda a gastar os joelhos ante o Sacrário. Ele, Jesus, jamais defrauda”.

O Papa exorta as famílias a rezarem o Terço

Papa Francisco

VATICANO, 06 Mai. 13 / 11:23 am (ACI/EWTN Noticias).- Em uma mensagem escrita pelo Papa Francisco na rede social Twitter, destacou a importância de rezar o Terço em família especialmente neste mês de maio dedicado à Santa Mãe de Deus.

No tweet se lê: “Seria maravilhoso, no mês de maio, rezar juntos em família o Terço. A oração faz com que a vida familiar torne-se ainda mais sólida”.

Maio é o mês consagrado a Maria, por ser o mês no que não havia nenhuma festa particular, portanto a Igreja Católica alentou esta devoção à Santíssima Virgem, por duas bulas, uma de 21 de março de 1815 e a outra de 18 de junho de 1822, quando Pio VII concede as indulgências aplicáveis às almas do Purgatório.

Neste mês Mariano, lembramos no dia 13 a Festa de Nossa Senhora de Fátima, no dia 24 a festa de Maria Auxiliadora e no dia 31 festejamos aVisitação de Maria a Santa Isabel.

Na América Latina se celebra Nossa Senhora de Luján, padroeira da Argentina, terra do Santo Padre.

Deputado nacional propõe adoção como alternativa ao aborto na Argentina

Buenos Aires, 31 Mai. 12 / 12:02 pm (ACI/EWTN Noticias)

Alfredo Olmedo, deputado nacional pela província de Salta da Argentina, propôs uma lei de adoção para permitir às mães gestantes tentadas de abortar, dar seus filhos às famílias que desejam acolhê-los.

Em meio da controvérsia pela falha da Corte Suprema que despenalizou os abortos em casos de estupro, o legislador anunciou que expôs “uma Lei de Adoção desde o ventre da mãe, para aquelas mães que estão grávidas, em vez de ter um aborto que é uma pena de morte de um nascituro (…), se anotem em um banco de dados”.

“Há milhares de famílias esperando seus filhos, que os relacione uns com outros e o dia que nasça o bebê a mãe escolhe se fica com o filho ou se o dá em adoção. Se o der em adoção o que estou brigando é que a adoção seja plena no primeiro mês”, assinalou numa entrevista difundida no dia 28 de maio pelo site Generaccion.com

Declarado católico, Olmedo criticou que os promotores do aborto falem de direitos humanos quando “o primeiro direito é a vida, não a morte”. Indicou que a mulher tem direitos, “mas a partir do momento que fica grávida a vida já não é mais dela, a vida é dessa criança e essa criança não tem dono”.

Marcha do orgulho gay foi um fracasso total na Argentina

Buenos Aires, 13 Mar. 12 / 12:14 am (ACI)

A plataforma de cidadãos Argentinos Alerta informou um que a  marcha do orgulho gay, programada para o dia 9 de março na localidade de San Rafael, em Mendoza, foi um fracasso, porque o público não superou meia centena e a sua maioria não eram homossexuais.

Efetivamente, inúmeras testemunhas relataram que a maioria dos participantes na manifestação não eram gays, mas membros de partidos de esquerda e de órgãos que dizem defender os direitos humanos.

Graças à solicitação realizada pela plataforma cidadã argentina as autoridades, a desastrosa convocatória não passou em frente da Catedral de San Rafael, onde 250 fieis  católicos estavam reunidos para proteger o templo contra qualquer possível ataque.

Dias antes da marcha, os defensores do matrimonio e da família criticaram a diluída marcha do orgulho gay, pois “era um verdadeiro ato de agressão e provocação, já que foi eleita a cidade de San Rafael por esta ser uma cidade manifestamente católica”.

Página 1 de 2

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén