Peregrinação vem percorrendo diversos países
BRASÍLIA, terça-feira, 18 de setembro de 2007 (ZENIT.org).- Sob a aclamação dos fiéis que entoavam cânticos ao Sagrado Coração de Jesus, chegaram nesse sábado, dia 15 de setembro, em Brasília, às 12h30, as relíquias de Santa Margarida Maria Alacoque.

As relíquias – um ossário que contém vários fragmentos de ossos e uma parte do tecido cerebral, que se conserva incorrupto, por mais de 300 anos – foram recepcionadas pelo arcebispo emérito de Brasília, cardeal José Freire Falcão e pelos fiéis da arquidiocese.

Do Aeroporto Internacional de Brasília as relíquias seguiram no papa-móvel para a Paróquia Nossa Senhora das Dores, localizada no Cruzeiro Velho.

A peregrinação que vem percorrendo diversos países partiu do Mosteiro das Visitandinas de Paray-le-Monial, na França, onde Jesus apareceu à Santa, no século XVII.De acordo com os organizadores «as peregrinações contribuem para fazer conhecer a mensagem do Coração de Jesus no mundo, que é uma mensagem de paz, amor e reconciliação, além de reavivar a fé dos cristãos no profundo Amor do Divino Coração pela humanidade». A peregrinação no Brasil segue até o final do mês de outubro deste ano.

Santa Margaria Maria Alacoque era francesa, nasceu em 1647 e morreu em 1690, aos 43 anos. Entrou para o mosteiro das visitandinas ainda criança e fez profundas experiências místicas com o Coração de Jesus, através da Sagrada Eucaristia.

O cardeal José Freire Falcão explicou ao site da arquidiocese de Brasília que o objetivo da peregrinação das relíquias é despertar a devoção ao coração de Jesus.

«O Sagrado Coração de Jesus é o símbolo, não só o símbolo mais do que isso, é o curriculum do amor misericordioso de Deus que tem sua expressão em seu filho Jesus Cristo, ao sofrer e derramar seu sangue na cruz por nós, Ele testemunhou esse amor imenso de Deus por cada criatura humana.»

Veja tambem  Papa exige "resultados concretos" da cúpula em Roma sobre o Líbano

«Foi Santa Margarida Maria Alacoque quem difundiu essa devoção ao Coração de Jesus, a partir do século XVII, período em que ela viveu. Daí a finalidade desta peregrinação: aprofundar ainda mais a fé cristã, fé em Jesus Cristo, mas sobretudo a devoção ao Coração de Jesus. O mundo está muito necessitado deste amor misericordioso do Pai em seu Filho Jesus Cristo», disse.

Segundo o cardeal, as relíquias são símbolos. «A vida humana tem essa dimensão simbólica que a gente não pode dispensar. Às vezes é mais importante do que os objetos materiais. São sinais que lembram outra realidade que são invisíveis aos nossos olhos».

«As relíquias de Santa Margarida Maria Alacoque nos levam a essa grande santa, o seu testemunho de santidade, do amor ao coração de Jesus. Nesse sentido, as relíquias têm grande importância para fazer crescer a fé. Não é que sejam objetos de adoração aos santos, absolutamente. É um culto no sentido de respeito, mas sobretudo nos lembram outra realidade, pois é ao Sagrado Coração de Jesus a quem se dirige o nosso amor», afirmou o cardeal.




Comentários no Facebook:

comments