Primeiro registro histórico de uma Santa Missa

Desde o século II temos o testemunho de São Justino sobre as grandes linhas do desenrolar da Celebração Eucarística, que permaneceram as mesmas até os nossos dias. O relato, a seguir, data do ano de 155:

“No dia do Sol, como é chamado, reúnem-se num mesmo lugar os habitantes, quer das cidades, quer dos campos. Lêem-se, na medida em que o tempo o permite, ora os comentários dos Apóstolos, ora os escritos dos Profetas. Depois, quando o leitor terminou, o que preside toma a palavra para aconselhar e exortar à imitação de tão sublimes ensinamentos. A seguir, pomo-nos todos de pé e elevamos as nossas preces por nós mesmos e por todos os outros, onde quer que estejam, a fim de sermos considerados justos pela nossa vida e pelas nossas ações, e fiéis aos mandamentos, para assim obtermos a salvação eterna.

Quando as orações terminaram, saudamo-nos uns aos outros com um ósculo. Em seguida, leva-se àquele que preside pão e um cálice de água e de vinho misturados. Ele os toma e faz subir louvor e glória ao Pai do universo, no nome do Filho e do Espírito Santo e rende graças longamente pelo fato de termos sido julgados dignos destes dons.

Terminadas as orações e as ações de graças, todo o povo presente prorrompe numa aclamação dizendo: Amém.

Depois de o presidente ter feito a ação de graças e o povo ter respondido, os que entre nós se chamam diáconos distribuem a todos os que estão presentes pão, vinho e água ‘eucaristizados’ e levam também aos ausentes.”

O Catecismo da Igreja Católica dedica um longo espaço para o estudo e aprofundamento deste sacramento importantíssimo, que é a Eucaristia. Vale a pena ler e refletir os parágrafos do 1345 ao 1419.

Fonte: http://salvemaria.sites.uol.com.br/salv61.htm

Veja tambem  "Ó homens, até quando sereis duros de coração?" (Sl 4,3)



Comentários no Facebook:

comments

Anteriores

Escatologia errônea das Seitas

Próximo

Hawking não fala como cientista ao negar obra criadora de Deus

6 Comentários

  1. Pedro Erisson

    Nooossa!! Esse eu ainda não tinha conhecimento.

    Senssacional, enche os olhos ver testemunhos tão belos e tão cedo, sendo este já do II séc., onde a fração do Pão já era tida por Mistério Sagrado diretamente relacionado ao Corpo de Cristo.

    Que beleza!!!!

    Essa é a Igreja de Deus.

  2. Douglas Albiero

    Sem dúvida a Eucaristia é o maior presente que Deus nos deu, pois os que podem recebê-lo comungam aquele por quem tudo foi criado. Ele quis se fazer pequeno como um simples pedaço de pão para poder entrar em nossa vida, não somente espiritualmente, mas de forma real. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna … permanece em mim e eu nele (São João 6,54-56).

  3. Altair Barreto

    Esse registro histórico da celebração da Santa Missa, se encontra na Apologia(defesa) que S. Justino escreveu ao Imperador Romano Antonino Pio em defesa dos cristãos por volta do ano 150 como ele mesmo atesta em sua apologia no cap 46,1. "1Alguns, sem motivo, para rejeitar o nosso ensinamento, poderiam nos objetar que, ao dizermos que Cristo nasceu somente há CENTO E CINQUENTA ANOS sob Quirino…"

    No cap. 66,1-2, S. Justino diz: "Este alimento se chama entre nós EUCARISTIA, da qual ninguém pode participar, a não ser que creia serem verdadeiros nossos ensinamentos e se lavou no banho que traz a remissão dos pecados e a regeneração e vive conforme o que Cristo nos ensinou. 2 De fato, não tomamos essas coisas como pão comum ou bebida ordinária, mas da maneira como Jesus Cristo, nosso Salvador, feito carne por força do Verbo de Deus, teve carne e sangue para nossa salvação, assim nos ensinou que, por virtude da oração ao Verbo que procede de Deus, o alimento sobre o qual foi dita a ação de graças – alimento com o qual, por transformação, se nutrem nosso sangue e nossa carne – É A CARNE E O SANGUE DAQUELE MESMO JESUS ENCARNADO". Essa palavras de Justino em defesa dos cristãos é mais uma prova de que a Igreja Primitiva acreditava que o pão e o vinho consagrado por um legitimo ministro na sucessão apostólica, é verdadeiramente o Corpo e Sangue de Jesus crucificado.

  4. valdevino malveira

    GENTE OS IRMAOS CATOLICOS QUE AFASTARAM DA RELIGIÃO DEIXADA POR CRISTO NÃO PODIAM DEIXAR O CATOLICISMO SEM SABER DESSA VERDADE E AGORA CEGOS

    FICA BEM MAIS DIFICIL DELES SABER POIS A LAVAGEM CELEBRAL QUE SOFRERAM SO OS FAZ VER OS DEFEITOS DA IGREJA E NUNCA SUAS VIRTUDES E VERDADES. QUE DEUS OS PERDOE.

  5. Católicos sofrem lavagem cerebral???? HAHAHAHAHAHAHA! Invertendo as coisas na cara dura? Que cara de pau, meu querido Valdevino! Fala sério!

  6. Eliane

    Desculpe a intromissão, Henrique, mas creio que o que o Valdevino quiz dizer é que os católicos que abandonaram a Igreja não teriam feito isso se tivessem mais conhecimento… E agora, depois da lavagem cerebral que sofrem em igrejas protestantes, é mais dificil enxergar a beleza, a grandeza e a Verdade que só a Igreja Catolica oferece…

Deixe uma resposta

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén