VATICANO, 27 Fev. 11 / 12:43 pm (ACI/EWTN Noticias)

Ao presidir a oração do Ângelus este domingo, o Papa Bento XVI assinalou que o cristão deve distinguir-se sempre por sua total e absoluta confiança em Deus, em sua providência que o guia a uma maior liberdade ante as coisas materiais e o afasta do “medo” ao futuro.

A pesar do frio do inverno romano, os fiéis se reuniram na Praça de São Pedro este meio-dia para rezar com o Santo Padre, quem explicou que para confiar em Deus é preciso seguir o exemplo do próprio Cristo.

O Papa ressaltou que o Evangelho de hoje convida “à confiança no incondicional amor de Deus” e por isso Cristo “exorta os seus discípulos a confiar na providencia do Pai celeste, o qual nutre os pássaros do céu e veste os lírios do campo e, além disso, conhece a nossa necessidade”.

“Mateus se exprime desta forma: “Não vos preocupeis, pois, dizendo: “O que comeremos? O que beberemos? O que vestiremos? De todas estas coisas vão à procura os pagãos. O vosso Pai celeste, de fato, sabe que haveis necessidade”, disse o Papa.

Bento XVI, consciente das dificuldades de muitos homens e mulheres no mundo, destacou que embora “defronte à situação de tantas pessoas próximas ou distantes que vivem na miséria, este discurso de Jesus poderia parecer pouco realístico, se não evasivo. Na realidade, o Senhor quer nos fazer entender com clareza que não se pode servir a dois senhores: Deus e a riqueza.”.

“Quem acredita em Deus, Pai cheio de amor pelos seus filhos, coloca em primeiro lugar a procura pelo Reino, pela Sua vontade. E isto é exatamente o contrário de um ingênuo conformismo. A fé na providencia, de fato, não dispensa a fadigosa luta por uma vida digna, mas liberta da ansiedade pelas coisas e do medo do amanhã”.

Veja tambem  China: A emoção em receber a Bíblia pela primeira vez - legendado

“É claro que este ensinamento de Jesus, mesmo permanecendo sempre verdadeiro e válido para todos, é praticado em modos diversos pelas diversas vocações: um frei franciscano poderá segui-lo em maneira mais radical, enquanto que um pai de família deverá dar conta dos próprios deveres em relação a mulher e aos filhos. Em todo caso, entretanto, o cristão se distingue pela absoluta confiança no Pai celeste, como fez Jesus”.

O Papa disse também que “justamente a relação com Deus Pai que dá sentido à toda a vida de Cristo, às suas palavras, aos seus gestos de salvação, até a sua paixão, morte e ressurreição. Jesus nos demonstrou o que significa viver com os pés bem plantados na terra, atentos às concretas situações do próximo e ao mesmo tempo conservando sempre o coração no céu e mergulhado na misericórdia de Deus”.

Finalmente animou os presentes a “invocar a Virgem Maria com o título de Mãe da Divina Providencia. À ela confiamos a nossa vida, o caminho da Igreja, os acontecimentos da historia. Em particular, invocamos a sua intercessão a fim que todos aprendamos a viver segundo um estilo mais simples e sóbrio, na cotidiana atividade e no respeito para com a criação que Deus confiou aos nossos cuidados”.

Falando em espanhol o Papa assinalou que “a liturgia deste dia nos exorta a confiar na providência divina; recordando-nos que somos amados por Deus e assistidos por seu auxílio. Eu vos convido a corresponder a este amor, à imitação da Virgem Maria, cuja existência terrena se mostrou sempre sob o sinal da gratuidade e do louvor, para que assim experimentem a paz verdadeira e a alegria autêntica. Feliz domingo”.




Comentários no Facebook:

comments