FranciscoHomilia_AutorLaurenCater_CNA

Vaticano, 12 Mai. 14 / 02:26 pm (ACI/EWTN Noticias).- Durante a missamatutina celebrada na Casa Santa Marta, o Papa Francisco recordou que é o Espírito Santo quem atualiza a Igreja e a faz caminhar para frente, por isso, exortou a não colocar impedimentos, mas ser dóceis à sua ação.

“O Espírito Santo é a presença viva de Deus na Igreja. É ele que conduz a Igreja, que faz caminhar a Igreja. Sempre mais, para além dos limites, mais em frente. O Espírito Santo com os seus dons guia a Igreja”, expressou o Papa ao refletir sobre uma das passagens dos Atos dos Apóstolos.

Uma comunidade de pagãos –recordou o Papa- acolhe o anúncio do Evangelho e Pedro é testemunha ocular da descida do Espírito Santo sobre eles, mas primeiro duvida em ter contato com o que sempre tinha considerado “impuro”. E logo recebe duras críticas de parte dos cristãos de Jerusalém, escandalizados pelo fato de que seu chefe tinha comido com gente “não circuncidada” e até os tinha batizado. Um momento de crise interna..

O Santo Padre assinalou que o Espírito sopra onde quer, mas uma das tentações mais frequentes de quem tem fé é bloquear-lhe o caminho e pilotá-lo numa direção ou noutra. Uma tentação que surgiu já nos alvores da Igreja.

Entretanto, explicou o Papa, Pedro compreende o erro quando uma visão o ilumina sobre uma verdade fundamental: o que foi purificado por Deus ninguém o pode classificar de “profano”. E ao narrar estes fatos à multidão que o critica, o Apóstolo tranquiliza todos com esta afirmação: “Se, portanto, Deus lhes deu o mesmo dom que a nós, por terem acreditado no Senhor Jesus Cristo, quem sou eu para por impedimento a Deus?”

“Quando o Senhor nos faz ver o caminho, quem somos nós para dizer: ‘Não, senhor, não é prudente! Não, façamos assim’… E Pedro naquela primeira diocese – a primeira diocese foi Antioquia – toma esta decisão: ‘Quem sou eu para pôr impedimentos?’”, expressou o Papa.

Conforme informou a Rádio Vaticano, o Santo Padre indicou que esta é uma bela palavra “para os bispos, os sacerdotes e também para os cristãos. Mas quem somos nós para fechar portas? Na Igreja primitiva, e mesmo hoje, existe aquele ministério do Ostiário. E o que fazia o Ostiário? Abria a porta, recebia a gente, fazia-as passar. Mas nunca foi o ministério de quem fecha a porta, nunca”.

Deus deixou a liderança da Igreja “nas mãos do Espírito Santo”, que nos ensinará tudo e “nos ajudará a recordar o que Jesus nos ensinou”.

“Não se pode compreender a Igreja de Jesus sem este Paráclito, que o Senhor nos envia para isso. E faz estas opções impensáveis, mas impensáveis! Para usar uma palavra de São João XXIII: é mesmo o Espírito Santo que atualiza a Igreja: na verdade, ele a atualiza e a faz caminhar para frente. E nós cristãos devemos pedir ao Senhor a graça da docilidade ao Espírito Santo. A docilidade a este Espírito, que nos fala no coração, nos fala nas circunstâncias da vida, nos fala na vida eclesial, nas comunidades cristãs, nos fala sempre”, concluiu o Papa.




Comentários no Facebook:

comments