Segundo o arcebispo da Mãe de Deus em Moscou

MOSCOU, sexta-feira, 17 de julho de 2009 (ZENIT.org).- O arcebispo da arquidiocese da Mãe de Deus, em Moscou, expressou sua satisfação pela melhora das relações entre a Igreja Católica e o governo.

“Os sinais positivos e concretos de melhora das relações entre a comunidade católica e as autoridades governamentais estão emergindo na Federação Russa e isto nos dá esperança no futuro”, declarou Dom Paolo Pezzi a L’Osservatore Romano.

Também destacou a esperança que isso supõe para “o estabelecimento e o crescimento de relações diplomáticas plenas entre a Santa Sé e a Federação Russa”.

Atualmente, a Santa Sé mantém relações especiais com a Federação Russa, que dispõe de uma representação diplomática ante a Santa Sé.

O arcebispo percebe “uma melhora das relações entre a Igreja Católica e o poder civil, tanto no âmbito central como no local”.

Estes sinais positivos residem na “possibilidade de enfrentar e de resolver positivamente certas questões relativas à presença da Igreja na Rússia”.

Entre essas questões, destacou “o reconhecimento da comunidade católica a diferentes níveis” e “uma colaboração no que se refere à problemática dos lugares de culto”.

“Há uma disponibilidade para dialogar e para perceber nossas preocupações e encontrar uma solução”, afirmou o prelado.

O arcebispo não deixou de recordar, contudo, certas problemáticas. “No âmbito local, temos respostas diferentes: em certas comunidades há sinais positivos de colaboração, enquanto que em outras, as dificuldades perduram”.

“De qualquer forma, quando há dificuldades, percebemos um maior interesse e uma implicação maior do poder político central para responder a nossas necessidades”, explicou.

Para Dom Pezzi, “devemos ser conscientes de que nossa esperança se baseia em nossa fé e precisamente isso nos proporciona um olhar otimista e construtivo, também nas relações com o poder político”.

Veja tambem  Papa ordena 19 sacerdotes e adverte: «mundo» contamina a Igreja



Comentários no Facebook:

comments