NOVA IORQUE, 27 Fev. 07 (ACI) .- A prestigiosa “Liga Católica” dos Estados Unidos, que defende os direitos dos católicos na América do Norte, divulgou um enérgico comunicado onde destaca que o documentário produzido pelo diretor do filme “Titanic” sobre o suposto achado da tumba de Jesus é “uma fraude titânica”.

Bill Donohue, Presidente da Liga Católica, assinalou, depois da conferência de imprensa que apresentou o documentário que será exibido pela Discovery Channel, que ” não há tempo de Quaresma sem que um autor ou um canal de televisão procurem lançar dúvidas sobre a divindade de Jesus Cristo ou de sua Ressurreição.”

Donohue recordou que no ano passado em Estados Unidos, o programa “Dateline” da Cadeia NBC transmitiu o desacreditado documentário anticristão de Michael Baigent, dois anos atrás foi a ABC com outro programa questionando a Ressurreição de Jesus, e este ano é o documentário de Cameron.

O Presidente da Liga recordou “o arqueólogo israelense Amos Kloner esteve encarregado em 1980 das investigações das tumbas que Cameron filmou 27 anos depois para fazer suas afirmações.

Donohue reproduziu em seu comunicado todas as afirmações de Amos Kloner que desacreditam completamente o documentário; mas explicou além disso que outro perito, Joe Zias, um prestigioso arqueólogo da Universidade Rockefeller em Jerusalém, assinala que o co-diretor do documentário, Simcha Jacobovici “carece de toda credibilidade” pois o controvertido cineasta israelense-canadense, segue sustentando a história que ele mesmo lançou o 2002 sobre uma ossada com a inscrição “Santiago, Filho de José, Irmão de Jesus”. Donohue recordou que em 18 de junho de 2003, os 15 membros da Autoridade de Antiguidades de Israel –conhecida por suas siglas em inglês IAA- demonstrou por cima de toda dúvida que a ossada “descoberta” por Jacobovici era uma falsificação moderna.

Veja tambem  Questionando os Protestantes - VII

Esta decisão foi respaldada pelo arqueólogo de Harvard Frank Cross e pelo professor da Universidade de Tel Aviv, Edward Greenstein.

“A Discovery Channel difundiu a farsa de 2002 e agora volta com esta fraude titânica. É tempo da Discovery Channel para que descubra a ética e deixe de lado o sensacionalismo”, concluiu Donohue.




Comentários no Facebook:

comments