Diz São João na sua epístola: «Deus é luz» (1Jo 1,5); aquele que permanece em Deus está na luz, como Ele próprio está na luz. Uma vez que temos a alegria de estar livres das trevas e do erro, caminhemos sempre na luz, como verdadeiros filhos da luz. […] É por isso que o Apóstolo diz: «Brilhais como astros no mundo. Conservai a palavra da vida» (Fl 2,15-16). Se não o fizermos, dir-se-á que, pela nossa infidelidade, para nossa desgraça e dos outros, obscurecemos e cobrimos com um véu esta luz tão necessária e benfazeja. […]

Por isso, a lâmpada brilhante que foi acesa para a nossa salvação deve luzir permanentemente em nós. Com efeito, possuímos a luz da lei celeste e da graça espiritual sobre a qual David disse: «A tua palavra é farol para os meus passos e luz para os meus caminhos» (Sl 118,105). […] Não podemos, pois, esconder dos nossos olhos essa luz da lei e da fé, mas devemos elevá-la na Igreja como um candelabro, para que gozemos realmente da luz da Verdade e para que todos os crentes sejam por ela iluminados.




Comentários no Facebook:

comments