Ao sopro da vossa ira amontoaram-se as águas
e as ondas formaram uma barreira,
rasgaram-se os abismos no meio do mar.
O inimigo dissera: «Hei de persegui-los,
hei de alcançá-los e repartir os seus despojos,
saciarei a minha alma destruindo-os à espada».
Mandastes o vento e o mar engoliu-os,
mergulharam como chumbo nas águas tumultuosas;
estendestes a vossa mão e logo os devorou a terra.
Mas, conduzistes com amor o povo que libertastes
e com o vosso poder o levastes à vossa morada santa,
à morada segura que fizestes, Senhor.




Comentários no Facebook:

comments