Quando contemplo a ameaça suspensa sobre os culpados no tempo de Noé, tremo, eu que também sou culpado de pecados abomináveis. […] O Criador começou por ameaçar os homens de então, porque esperava o tempo da sua conversão. Também para nós virá a hora final, que desconhecemos, e que até aos anjos foi ocultada (Mt 24,36). Nesse último dia, Cristo, o Senhor de antes dos séculos, virá cavalgando nas nuvens, para julgar a Terra, como viu Daniel (7,13). Antes de esta hora cair sobre nós, supliquemos-Lhe: «Salva da tua cólera todos os homens, pelo amor que nos tens, ó Redentor do Universo» […]

O Amigo dos homens, vendo a maldade que então reinava, disse a Noé: «O fim de toda a humanidade chegou diante de Mim, pois ela encheu a Terra de violência. Vou exterminá-la juntamente com a Terra» (Gn 6,13); «só a ti reconheci como justo nesta geração» (Gn 7,1). Constrói uma arca de madeiras resinosas; […] como matriz, ela carregará as sementes das espécies futuras. Fá-la-ás como uma casa, à imagem da Igreja. […] Nela te guardarei, a ti, que Me rezas com fé: «Salva da tua cólera todos os homens, pelo amor que nos tens, ó Redentor do universo!»

Com inteligência, o eleito cumpriu a sua obra […], e pedia com fé aos homens sem fé: «Depressa! Saí do pecado, rejeitai a maldade, arrependei-vos! Lavai com lágrimas a mácula das vossas almas, reconciliai-vos pela fé no poder do nosso Deus […].» Mas os filhos da rebelião não se converteram. À perversidade, acrescentaram ainda a dureza de coração. Então Noé implorou a Deus com lágrimas: «Fizeste-me nascer do seio da minha mãe; salva-me dentro desta arca. Porque vou fechar-me nesta espécie de sepultura mas, quando me chamares, dela sairei pela tua força! Nela, vou prefigurar desde agora a ressurreição de todos os homens, quando salvares os justos do fogo, como a mim me salvas das ondas do mal, arrancando-me do meio dos ímpios, eu que Te rezo com fé, a Ti, compassivo Juiz: ‘Salva da tua cólera todos os homens, pelo amor que nos tens, ó Redentor do universo!’»




Comentários no Facebook:

comments