Aquilo que principalmente atrai a benevolência do alto é a solicitude para com o próximo. É por isto que Cristo exige esta disposição a Pedro: «Simão, filho de João, tu amas-Me mais do que estes?» Pedro respondeu: «Sim, Senhor, Tu sabes que eu sou deveras teu amigo». Jesus disse-lhe: «Apascenta os Meus cordeiros». Por que foi que, afastando-Se dos outros apóstolos, Jesus Se dirigiu a Pedro falando-lhe sobre eles? É que Pedro era o primeiro entre os apóstolos, o seu porta-voz, o chefe do seu colégio, de tal maneira que foi a ele, e não aos outros, que Paulo veio um dia consultar (Gal 1,18). Para mostrar bem a Pedro que devia confiar e que a sua negação estava esquecida, Jesus dá-lhe agora a primazia entre os seus irmãos. Não menciona a sua negação e não lhe faz sentir vergonha do passado. «Se Me amas», diz-lhe, «permanece à cabeça dos teus irmãos; e o amor fervoroso que sempre Me manifestaste com tanta alegria, prova-o agora. A vida que dizias ser capaz de dar por Mim, dá-a pelas Minhas ovelhas». […]

Mas Pedro perturba-se, pensando que poderia dar a entender que amava muito, não amando verdadeiramente; e diz: «Tanto como estava certo de mim no passado, assim estou agora confundido». Mas Jesus interroga-o três vezes, e três vezes lhe dá a mesma ordem, mostrando-lhe assim o apreço que dá ao cuidado das suas ovelhas e dando-lhe, com efeito, a maior prova de amor para com ele.




Comentários no Facebook:

comments