«Ele vai à vossa frente para a Galileia: lá O vereis, como Ele vos disse.» «Galileia» quer dizer «fim do cativeiro». O Redentor já havia passado da Paixão à ressurreição, da morte à vida, do castigo à glória, da corrupção à incorruptibilidade. Mas se, após a ressurreição, os discípulos O vêem primeiro na Galileia, é porque nós não contemplaremos, na alegria, a glória da sua ressurreição se não trocarmos os vícios pelos cumes da virtude. Há uma deslocação que tem de ser feita: se a notícia é conhecida no sepulcro, é noutro local que Cristo Se mostra […].

Havia duas vidas; nós conhecíamos uma, mas não a outra. Havia uma vida mortal e uma vida imortal, uma corruptível e outra incorruptível, uma de morte e outra de ressurreição. Então apareceu o Mediador entre Deus e os homens, o homem Jesus Cristo (1Tim 2,5), que assumiu a primeira vida e nos revelou a outra, que perdeu uma ao morrer e nos revelou a outra ao ressuscitar. Se Ele nos tivesse prometido, a nós que conhecíamos a vida mortal, uma ressurreição da carne sem dela nos dar uma prova palpável, quem teria acreditado nas suas promessas?




Comentários no Facebook:

comments