Cristo, isto é, a misericórdia celeste, vem cada dia bater à porta da tua casa: não vem só espiritualmente à porta da tua alma, mas vem também materialmente à porta da tua casa. Porque, cada vez que um pobre se aproxima da tua casa, é, sem qualquer dúvida, Cristo que vem, Ele que disse: «Quantas vezes o fizestes a um dos meus irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes.» Não endureças, pois, o teu coração; dá algum dinheiro a Cristo, de quem desejas receber o Reino; dá um pouco de pão àquele de quem esperas receber a vida; acolhe-o em tua casa, para que ele te receba no paraíso; dá-lhe esmola para que em troca ele te dê a vida eterna.

Que audácia a tua, de quereres reinar no céu com aquele a quem recusas a esmola neste mundo! Se o receberes durante esta viagem terrena, ele te acolherá na sua felicidade eterna; se o desprezares aqui na tua pátria, ele afastará de ti o seu olhar na glória. Diz o salmo diz: «Na tua cidade, Senhor, desprezas a imagem deles» (Sl 72,20 vulg.); se, na nossa cidade, isto é, nesta vida, desprezarmos os que foram feitos à imagem de Deus (Gn 1,26), devemos recear ser rejeitados na sua cidade eterna. Praticai, pois, a misericórdia aqui em baixo; […] graças à vossa generosidade, ouvireis esta feliz palavra: «Vinde, benditos de meu Pai; recebei como herança o reino.»




Comentários no Facebook:

comments