Os pés de vinha são ligados e empados, os sarmentos voltados de cima para baixo, presos a sólidas estacas. É desse modo que podemos compreender a vida santa e a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, que deve ser, em todas as coisas, o sustento do homem de bem. O homem deve ser curvado, o que há nele de mais elevado deve ser abaixado, ele deve afundar-se, do fundo da sua alma, em verdadeira e humilde submissão. Todas as nossas faculdades, interiores e exteriores, as da sensibilidade e a avidez, bem como as nossas faculdades racionais, devem estar ligadas, cada qual no seu lugar, em verdadeira submissão à vontade de Deus.

Em seguida, remexe-se a terra em redor dos pés da vinha e limpam-se as ervas daninhas. Também o homem deve ser limpo, mantendo-se profundamente atento àquilo que ainda possa ter de ser arrancado do fundo do seu ser, para que o Sol divino possa aproximar-se mais dele, e nele brilhar. Se deixares que a força do Alto faça a sua obra, o sol elevará a humidade do solo até à força vital escondida na madeira, e surgirão cachos magníficos. Depois, o sol agirá sobre os cachos, que se desenvolverão produzindo flores, que exalam um perfume nobre e benfazejo. […] Então, o fruto tornar-se-á indescritivelmente doce. Que tal nos seja dado a todos.




Comentários no Facebook:

comments