«Procurai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e tudo o mais vos será dado por acréscimo.» […] É-nos dito que procuremos o reino de Deus. «Procurai-o» é apenas uma palavra, mas parece-me significar muitas coisas. Quer dizer […] trabalhar incessantemente para o reino de Deus, e não permanecer num estado ocioso e estático, prestar atenção ao interior para bem o regrar, e não aos divertimentos exteriores. […] Procurai a Deus dentro de vós, visto que Santo Agostinho confessa que, enquanto O procurou fora dele, não O encontrou. Procurai-O na vossa alma, como sua morada agradável e base onde os seus servos se esforçam por levar à prática todas as virtudes. A vida interior é imprescindível, e é necessário ampliá-la; se não tivermos vida interior, nada temos. […] Procuremos tornar-nos interiores. […] Procuremos a glória de Deus, procuremos o reino de Jesus Cristo. […]

«Mas, dir-me-eis, há tanto a fazer, tanto trabalho em casa, tantas tarefas na cidade, no campo; o trabalho é muito; quer dizer que temos de deixar tudo para pensar unicamente em Deus?» Não, mas temos de santificar estas ocupações procurando a Deus nelas, e de fazê-las para O encontrar, mais do que para as ver feitas. Nosso Senhor quer, antes de tudo, que procuremos a sua glória, o seu reino, a sua justiça; por isso, que o nosso tesouro seja a vida interior, a fé, a confiança, o amor, os exercícios espirituais […], os trabalhos e as dores com vista a Deus, nosso soberano Senhor. […] Uma vez assim constituídos na procura da glória de Deus, temos a certeza de que o resto se seguirá.




Comentários no Facebook:

comments