Cristo não entrou num santuário feito por mãos humanas, figura do verdadeiro, mas no próprio Céu, para Se apresentar agora na presença de Deus em nosso favor.
E não entrou para Se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote que entra cada ano no Santuário, com sangue alheio;
nesse caso, Cristo deveria ter padecido muitas vezes, desde o princípio do mundo. Mas Ele manifestou-Se uma só vez, na plenitude dos tempos, para destruir o pecado pelo sacrifício de Si mesmo.
E, como está determinado que os homens morram uma só vez e a seguir haja o julgamento,
assim também Cristo, depois de Se ter oferecido uma só vez para tomar sobre Si os pecados da multidão, aparecerá segunda vez, sem a aparência do pecado, para dar a salvação àqueles que O esperam.
Temos, pois, irmãos, plena liberdade para a entrada no santuário por meio do sangue de Jesus.
por este caminho novo e vivo que Ele nos inaugurou através do véu, isto é, o caminho da sua carne,
e tendo tão grande sacerdote à frente da casa de Deus,
aproximemo-nos de coração sincero, na plenitude da fé, tendo o coração purificado da má consciência e o corpo lavado na água pura.
Conservemos firmemente a esperança que professamos, pois Aquele que fez a promessa é fiel.




Comentários no Facebook:

comments