O profeta Elias surgiu como um fogo e a sua palavra queimava como um facho ardente.
Fez vir a fome sobre os homens de Israel e no seu zelo reduziu-os a um pequeno número.
Pela palavra do Senhor fechou o céu e três vezes fez descer o fogo.
– Como foste admirável, Elias, pelos teus prodígios! Quem se pode gloriar de ser como tu?
Arrancaste um homem à morte e o livraste do Abismo pelas palavras do Altíssimo.
Tu levaste reis à ruína e precipitaste dos seus leitos homens ilustres.
Ouviste repreensões no Sinai e decretos de castigo no Horeb.
Tu sagraste reis para punirem o mal e profetas para te sucederem.
Foste arrebatado num turbilhão de chamas e num carro puxado por cavalos de fogo.
Foste designado, na perspetiva dos tempos futuros, para aplacar a ira divina antes que ela se inflamasse, para reconciliar com os filhos o coração dos pais e restabelecer as tribos de Jacob.
Felizes os que te viram e os que morreram no amor de Deus,
porque também nós certamente viveremos. –
Por fim, Elias foi envolvido pelo turbilhão e Eliseu ficou cheio do seu espírito. Nos seus dias não tremeu diante de algum príncipe e ninguém conseguiu dominá-lo.
Nada era demasiado difícil para as suas forças e até no sono da morte o seu corpo profetizou.
Durante a vida fez prodígios e na morte as suas obras foram admiráveis.




Comentários no Facebook:

comments