O Espírito Santo, o Paráclito, o Defensor, é Aquele que, como um sopro, o Pai e o Filho enviam à alma dos justos. É por Ele que somos santificados e merecemos ser santos. O sopro humano é a vida dos corpos; o sopro divino é a vida dos espíritos. O sopro humano torna-nos sensíveis; o sopro divino torna-nos santos. Este Espírito é santo porque, sem Ele, nenhum espírito – nem angélico nem humano – pode ser santo.

«O Pai», diz Jesus, «vo-Lo enviará em meu nome» (Jo 14,26), isto é, em minha glória, para manifestar a minha glória; ou ainda, porque Ele tem o mesmo nome que o Filho: Ele é Deus. «Ele Me glorificará», porque vos tornará espirituais e vos levará a compreender como o Filho é igual ao Pai e não simplesmente um homem como O vedes, e porque vos tirará todo o temor e vos fará anunciar a minha glória a todo o mundo. Pois a minha glória é a salvação dos homens.

«Ele receberá do que é meu e vo-lo anunciará.» «Filhos de Sião, alegrai-vos», diz o profeta Joel, «porque o Senhor vosso Deus vos deu Aquele que ensina a justiça» (2, 23 Vulg.), que vos há-de ensinar tudo o que diz respeito à salvação.




Comentários no Facebook:

comments