Irmãos, quem seria pois tão criminoso e obstinado na sua paixão pela discórdia, que imaginasse que se pode questionar e que ousasse ele próprio rasgar a unidade de Deus, as vestes do Senhor, a Igreja de Cristo? (Jo 19,24) Pois não é certo que Deus faz ouvir, no seu Evangelho, esta advertência: «Haverá um só rebanho e um só pastor» (Jo 10,16)? Depois disto, ainda haverá alguém pense que, num mesmo lugar, pode haver vários pastores e vários rebanhos? Vede como também o apóstolo Paulo nos recomenda esta unidade: «Peço-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo: mantende-vos de acordo uns com os outros, para que não haja divisões. Sede estreitamente unidos no mesmo espírito e no mesmo modo de pensar» (1Cor 1,10). «Suportai-vos uns aos outros no amor. Mantende entre vós laços de paz, para conservardes a unidade do Espírito» (Ef 4,2-3).

E tu julgas que podes permanecer de pé e vivo se abandonares a Igreja para estabeleceres algures a tua morada e afastares dela a tua habitação? […] Pois não diz Ele no Êxodo, a propósito da Páscoa, que o cordeiro, imolado em prefiguração de Cristo, deve ser comido numa mesma casa? (Ex 12,46) Não podemos deitar fora a carne de Cristo, o santo do Senhor; para os crentes, não há outra morada senão a Igreja. Esta casa, esta habitação de família unida, é designada pelo Espírito Santo quando diz num salmo: «Deus faz habitar numa mesma casa os corações unânimes» (cf 86,7). É na casa de Deus, na Igreja de Cristo, que vivem os que os corações unânimes; é aí que podem permanecer na paz e na simplicidade.




Comentários no Facebook:

comments