Irmãos, pelo baptismo recebemos um novo nascimento. «Se esperamos em Cristo apenas para esta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens» (1Cor 15,19). A nossa vida terrena, como podeis observar, é semelhante à dos peixes, das feras e das aves. Mas o que é próprio do homem, o que Cristo nos deu pelo seu Espírito, é a vida eterna, desde que deixemos de pecar […] «porque o salário do pecado é a morte; ao passo que o dom gratuito que vem de Deus é a vida eterna, em Cristo Jesus, Senhor nosso» (Rom 6,23).

Meus filhinhos, fixai isto, acima de tudo: outrora, as nações eram entregues ao poder das trevas, mas agora fomos libertados graças à vitória de Cristo Jesus Nosso Senhor. Foi Ele que nos resgatou. […] Ele libertou os cativos e quebrou as nossas cadeias, como David tinha profetizado: «O Senhor levanta os abatidos, o Senhor dá liberdade aos cativos, o Senhor dá vista aos cegos» (Sl 145, 7). E noutro salmo: «Quebrastes as minhas cadeias, oferecer-Vos-ei um sacrifício de louvor» (Sl 115,16). Sim, fomos libertados das nossas cadeias quando, pelo sacramento do baptismo, nos reunimos sob o estandarte do Senhor, libertos pelo Sangue e pelo Nome de Cristo.

Portanto, irmãos caríssimos, de uma vez para sempre somos baptizados, de uma vez para sempre somos libertados, de uma vez para sempre somos recebidos no reino imortal; de uma vez para sempre, «felizes daqueles a quem foi perdoada a culpa e absolvido o pecado» (Sl 31,1). Guardai com firmeza o que recebestes, guardai-o com alegria, não pequeis mais. Daqui por diante, conservai-vos puros e irrepreensíveis para o dia do Senhor.




Comentários no Facebook:

comments