Está escrito sobre João: «Uma voz grita no deserto: “Preparai os caminhos do Senhor, endireitar as suas veredas”.» Mas o que vem a seguir diz respeito exclusivamente ao Senhor, nosso Salvador. Porque não foi João quem «aplanou os vales», mas o Senhor, nosso Salvador. Considere cada um o que era antes de ter fé; e constatará que era um vale profundo, a pique, mergulhado nos abismos. Mas veio o Senhor Jesus, e enviou o Espírito Santo em seu lugar; foi então que «os vales foram aplanados». Eles foram aplanados com as boas obras e os frutos do Espírito Santo. A caridade não deixa subsistir em ti vale algum e, se possuíres a paz, a paciência e a bondade, para além de deixares de ser um vale, também começarás a ser uma montanha de Deus. […]

«As montanhas e as colinas serão abaixadas.» Nestas montanhas e nestas colinas abaixadas, podemos ver os poderes inimigos que se erguiam contra os homens. Com efeito, para que os vales de que falamos sejam aplanados, os poderes inimigos, as montanhas e as colinas, terão de ser abaixados.

Mas vejamos se a profecia seguinte, que diz respeito ao advento de Cristo, se realizou. Com efeito, o texto diz em seguida: «E todos os caminhos tortuosos serão endireitados.» Todos nós éramos tortuosos […] e a vinda de Cristo à nossa alma endireitou tudo quanto era tortuoso. […] Rezemos para que o seu advento se realize todos os dias em nós, e para que possamos dizer: «Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim» (Gal 2, 20).




Comentários no Facebook:

comments