O Senhor cura todos os dias a alma de todo o homem que Lho implora, que O adora piedosamente e que proclama com fé estas palavras: «Senhor, se quiseres, podes curar-me», seja qual for o número das suas faltas. «É que acreditar de coração leva a obter a justiça» (Rom 10,10). Temos pois de dirigir os nossos pedidos a Deus cheios de confiança, sem nunca duvidar do seu poder. […] É por essa razão que o Senhor responde imediatamente ao leproso que Lho suplica: «Quero». Porque, mal o pecador começa a orar com fé, a mão do Senhor começa a tratar a lepra da sua alma. […]

Este leproso dá-nos um conselho muito bom sobre a forma de rezar: ele não põe em dúvida a vontade do Senhor, como se se recusasse a crer na sua bondade; mas, consciente da gravidade das suas faltas, também não presume dessa vontade. Ao dizer ao Senhor que, se Ele quiser, pode purificá-lo, afirma que esse poder pertence ao Senhor e ao mesmo tempo afirma a sua fé. […] Se a fé for fraca, tem primeiramente de ser fortificada; pois só nessa altura revelará todo o seu poder para obter a cura da alma e do corpo.

É certamente sobre esta fé que fala o apóstolo Pedro quando diz que o Senhor purificou «os seus corações pela fé» (Act 15,9). […] A fé pura, vivida no amor, mantida pela perseverança, paciente na espera, humilde na sua afirmação, firme na confiança, cheia de respeito na oração e de sabedoria no que pede, tem a certeza de escutar em todas as circunstâncias esta palavra do Senhor: «Quero».




Comentários no Facebook:

comments