papa_video

Hoje, faz um ano que Jorge Mario Bergoglio, o argentino mais amado do Brasil (talvez o único argentino amado pelo Brasil), calçou as sandálias de Pedro e tornou-se o nosso Bispo de Branco. Nesses 365 dias de pontificado, uma coisa é marcante: a distorção de sua figura pela mídia e pelos católicos-jujuba, que esperam dele mudanças na doutrina; e, por outro lado, a desconfiança de alguns católicos tradicionalistas, que veem traição e modernismo em cada um de seus gestos.

Mas quem é, de verdade, o Papa Francisco? Como diz Jesus, pelos frutos podemos conhecer alguém. E o que vemos é o Papa reafirmar a cada dia a Tradição da Igreja, cativando, ao mesmo tempo, o coração dos não-católicos. Afinal, o médico veio para os doentes! Porém, muita gente vê essa aproximação do Papa com os não-católicos com maus olhos. Querem que o pastor fique alisando e escovando o pêlo das ovelhas que já estão dentro do redil, e se enciumam quando ele se volta para as ovelhas perdidas!

Foi isso que aconteceu quando, recentemente, o papitcho gravou um vídeo (veja aquisaudando os líderes de igrejas protestantes pentecostais que participavam de um encontro no Texas (EUA). No vídeo, que foi gravado de improviso via iphone, o Papa reafirma o desejo de que as divisões entre católicos e protestantes sejam superadas. Em vez de se alegrarem com mais essa ponte de diálogo erguida pelo Papa, muitos católicos ficaram desgostosos, dizendo que o Papa não fez vídeo para apoiar os católicos perseguidos nos países socialistas, mimimimi…

Em primeiro lugar, o Papa não planejou fazer esse vídeo. Está evidente que atendeu com solicitude ao pedido que alguém lhe fez ali, no momento. Segundo: a saudação não incluía qualquer aprovação da doutrina protestante. Terceiro: o vídeo foi o empurrãozinho que faltava para que o fundador da igreja pentecostal mais influente da Suécia se convertesse ao catolicismo. Mandou bem, papitcho! Olhaí o salve do beato JP II…

joao_paulo_ii

Durante o culto dominical, Ulf Ekman anunciou aos três mil seguidores de sua igreja que ele e sua esposa se converteram ao catolicismo, dizendo: “nos demos conta de que nossos preceitos protestantes, em muitos casos, não têm nenhum fundamento” (Fonte: ACI).

O pastor Ekman explicou que havia se dedicado cerca de dez anos ao estudo da doutrina católica, e seu viu atraído pelo Catecismo, pela Doutrina Social da Igreja e pelo exemplo de vida dos católicos carismáticos. Mas a sua decisão de ingressar na Igreja Católica foi mesmo tomada após ver o vídeo do Papa.

Ekman, que é um dos líderes cristãos mais influentes da Suécia, afirmou algo muito politicamente incorreto: a unidade dos cristãos “tem consequências práticas”, ou seja, não é suficiente que católicos e protestantes tenham um bom relacionamento… É preciso que todos se reúnam em uma só Igreja! Diante dessa declaração, em uma entrevista, ele foi questionado: “Não é suficiente que nos amemos uns aos outros?”. Ekman respondeu: “Isso é o mesmo que dizem as pessoas que vivem juntas e não se casam! Mas Jesus não tem 20 mil esposas [aqui ele se refere às milhares de seitas protestantes], e sim uma relação interna e externa específica com uma Esposa”, disse, referindo-se à Igreja Católica.

“A Igreja é o Corpo de Cristo, uma entidade estruturada. É concreta, não é uma nuvem de gás. O Corpo é visível. O modelo é Jesus, que teve um Corpo visível durante 30 anos. Além do mais, como era no princípio? (…) Havia somente uma Igreja!”, enfatizou Ekman. E concluiu: “Nós precisamos do que Jesus colocou na Igreja Católica. Eu preciso dos sacramentos, eu preciso do Magistério, preciso do Papa, preciso da tradição que gerenciam. Eu preciso da Igreja para minha própria salvação”.

De fato, a espontaneidade e disponibilidade desse papa para gravar vídeos e dar entrevistas dá frio na barriga e às vezes gera algumas confusões, como no caso do infeliz vídeo gravado para a Via Campesina (que foi cretinamente divulgado pelo MST como uma prova de que o papa apoia suas ações). Mas o Espírito Santo tem feito grandes coisas por meio desse grande pastor! Viva o Papa Francisco!

Fonte: O Catequista




Comentários no Facebook:

comments