VATICANO, 09 Jun. 06 (ACI) .- O Secretário do Pontifício Conselho para a Pastoral dos imigrantes e Itinerantes, Dom Agostino Marchetto, pediu às autoridades para dar “cartão vermelho” ao turismo sexual que aumentaria na Alemanha com ocasião da Copa do Mundo de futebol que começou hoje. Dom Marchetto lamentou em declarações a Rádio Vaticana a iminente chegada de mulheres dedicadas à prostituição a Alemanha, onde esta prática é legal desde ano 2002 e já se converteu em uma milionária indústria. “Usando a terminologia do futebol, diria que se deve mostrar cartão vermelho a essa indústria, a seus clientes e às autoridades que organizam o torneio. O balão está em seu terreno de jogo”, assinalou.

O Arcebispo recordou que “a prostituição, em realidade, viola a dignidade da pessoa humana, reduzindo à mulher à condição de um instrumento de prazer sexual”.

“As mulheres se convertem em bens que se podem comprar, e cujo custo é inclusive menor que o de um ingresso de jogo de futebol”, adicionou.

Dom Marchetto pediu às autoridades apoiar estas mulheres para que se reintegrem a sociedade “possivelmente através de uma permissão de residência temporária ou permanente. Deveriam, além disso, ter um trabalho digno e outras formas de recompensa”.

“Iniciativas deste tipo são necessárias para restituir a dignidade. Isto induz a aplicar a lei e a castigar a quem se beneficia da indústria do sexo e os traficantes, estes deveriam ser perseguidos e castigados com penalidades econômicas“, afirmou.

Faz uns dias, um parlamentario americano advertiu que até 40 mil mulheres poderiam chegar a Alemanha para exercer a prostituição durante a Copa, onde se calcula que 400 mil pessoas a exercem atualmente, pagando impostos e recebendo benefícios sociais.




Comentários no Facebook:

comments

Veja tambem  Santa Sé anuncia grande quantidade de Movimentos Eclesiais por ocasião de Pentecostes