Recorda que sua existência é um dogma de fé na Igreja

MEXICO D.F., 23 Jul. 07 / 12:00 am (ACI).- O coordenador geral de exorcistas da Arquidiocese do México, Pe. Pedro Mendoza Pantoja, criticou o cepticismo de alguns sacerdotes sobre a existência do diabo e assinalou que embora não sejam muitos os casos de possessão, sim o são no que é afetação demoníaca, que se deve ao afastamento do homem de Deus.

Ao culminar o 3º Congresso Nacional de Exorcistas, o Pe. Mendoza advertiu que quem não acredita na existência do demônio esquece que se trata de um dogma de fé da Igreja “por mais que queiram dar (a estes fenômenos) explicações de tipo psicológico ou de outra índole”.

Em declarações à imprensa, o sacerdote afirmou que na arquidiocese há sete exorcistas e que este número não é sob dado de que tampouco são muitos os casos de possessão; mas, advertiu, “sim o são no sentido de que atualmente muitas pessoas sofrem diversos tipos de afetações demoníacas devida ao afastamento do homem da fé, o que o faz crédulo em magia, bruxaria, malefícios, horóscopos e inclusive na morte, e tudo isto os sacerdotes não o atendem porque não sabem como fazê-lo”.

Nesse sentido, qualificou o evento de bem-sucedido porque se conseguiu sensibilizar os bispos participantes para que toquem este tema nos seminários e o número de exorcistas aumente. O Pe. Mendoza assinalou que é necessário tomar consciência da importância do ministério do exorcismo.

Distinguir males mentais de possessões

Por outro lado, durante o evento, o psicólogo e exorcista da Arquidiocese do México, Pe. Enrique Maldonado, assinalou que é necessário distinguir entre uma verdadeira possessão diabólica e uma enfermidade mental. Nesse sentido, afirmou que de cada dez mil casos de suposta possessão apenas um é real.

Veja tambem  “Galileu e O Vaticano” derruba lenda negra sobre cientista e a Igreja

Acrescentou que por isso é necessário o apoio de especialistas que, sob a guia do sacerdote, poderão diferença uma psicopatologia de uma verdadeira influência demoníaca e assim ajudar à pessoa “a encontrar a melhor via para solucionar seu problema”.

Por sua parte, o Pe. Jesús Yáñez recordou que na guerra que houve no Céu” não só caiu Satanás, mas também demônios menores que o seguiram; e que “possuído” é a pessoa atacada por Satanás e “diabólico” o invadido por demônios menores.

O sacerdote explicou que para estabelecer uma possível possessão se devem manifestar quatro critérios na pessoa afetada: aberração ao sagrado, aparição de fenômenos paranormais “em grau supremo”, a “revelação de coisas à distância”, e falar em línguas que a pessoa em estado consciente desconhece.




Comentários no Facebook:

comments