ROMA, 28 Ago. 13 / 12:18 pm (ACI/EWTN Noticias).- O Prefeito da Casa Pontifícia, Dom Georg Ganswein, assinalou que não há “nada de certo” nas informações que atribuem a renúncia ao pontificado de Bento XVI a uma experiência mística.

Faz uns dias circulou nos meios de imprensa de todo o mundo uma nota em que se assegurava que Bento XVI teve “uma experiência mística de Deus” antes de renunciar ao pontificado. Dom Ganswein, secretário pessoal do Bispo Emérito de Roma, declarou ao canal italiano TG5 que “tudo neste artigo foi inventado do alfa ao ômega (do principio ao fim). E não há nada de certo”.

Dom Ganswein fez estas declarações no último dia 25 de agosto desde Castel Gandolfo, onde se encontrava para festejar o 36º aniversário da inauguração da igreja da Virgem do Lago, e em cuja honra se dirigiu uma peregrinação e uma Missa.

“O Papa emérito está muito bem, veio de visita breve ao Palácio –de Castel Gandolfo–, porque havia um pequeno concerto, para jantar e dar depois um bonito passeio pelos jardins”, explicou.

Em referência à relação entre o Papa Francisco e Bento XVI, Dom Ganswein assegurou que ambas as personalidades “têm uma relação excelente”. “Há uma continuidade substancial entre eles e, certamente, há alguns elementos de estilo que são muito diversos porque são duas personalidades muito distintas. Se vemos o fio condutor dos primeiros meses do pontificado do Papa Francisco se vê que é uma continuidade clássica” e “tentou fazer uma ponte” entre ambos.

Castel Gandolfo é o povoado próximo à cidade de Roma, onde geralmente os Papas passam alguns dias de repouso. Aqui “Bento e eu estivemos durante oito anos, por várias semanas, todos os anos, e foi uma experiência única que agora sentimos falta”, acrescentou emocionado.

Precisamente, desde Castel Gandolfo, Bento XVI se despediu da Sé de Pedro. Ali, o fechamento dos portões do Palácio Apostólico de Castel Gandolfo, inundado pelo carinho de milhares de peregrinos, marcou o final de seu pontificado.




Comentários no Facebook:

comments