VATICANO, 07 Jan. 07 (ACI) .- Antes de recitar a oração do Ângelus com ocasião da festa do Batismo do Senhor –que em Roma e muitos países se celebra nesse domingo–, o Papa Bento XVI lembrou que é deste sacramento de onde brota o chamado e o compromisso de todo cristão com a santidade.

“O compromisso que nasce do Batismo é o de ‘escutar’ a Jesus: quer dizer, acreditar n’Ele e seguí-lo docilmente fazendo sua vontade, a vontade de Deus. Deste modo, cada um de nós pode tender à santidade, uma meta que, como lembra o Concílio Vaticano II, constitui a vocação de todos os batizados“, disse o Santo Padre ante milhares de fiéis e peregrinos que chegaram no meio-dia até a Praça de São Pedro.

Nesta festa litúrgica, que fecha o período de Natal e inicia o “tempo ordinário”, o Pontífice assinalou que o evangelista Lucas narra como, enquanto Jesus estava em oração, abriu-se o céu e sob forma de pomba, desceu o Espírito Santo. “Trata-se da manifestação do mistério trinitário de forma clara e completa mas ao mesmo tempo se trata de um acontecimento que marca o início do ministério público de Jesus na Palestina”.

“O batismo de Jesus no Jordão, é a antecipação de seu batismo de sangue na Cruz, e também é o símbolo da completa atividade sacramental com a que o Redentor realizará salvação da humanidade”, disse o Papa acrescentando que “no batismo de Cristo –canta a Liturgia de hoje– o mundo se santifica, os pecados são perdoados; na água e no Espírito nos tornamos criaturas novas“.

Mais adiante, explicou que “existe uma estreita correlação entre o Batismo de Cristo e nosso Batismo”. “No Jordão se abriu o céu para indicar que o Salvador nos abriu a via da salvação e precisamente, nós podemos percorrê-la graças ao novo nascimento ‘de água e de Espírito’ (Jo 3,5) que se realiza no Batismo”.

Veja tambem  O mal se origina no uso errôneo da liberdade do homem, explica Bento XVI

“Portanto –continuou o Santo Padre– o compromisso que nasce do Batismo é o de ‘escutar’ a Jesus: quer dizer, acreditar n’Ele e seguí-lo docilmente fazendo sua vontade, a vontade de Deus. Deste modo, cada um de nós pode tender à santidade, uma meta que, como lembra o Concílio Vaticano II, constitui a vocação de todos os batizados”.

“Que María, a Mãe do Filho de Deus, nos ajude a ser sempre fiéis ao nosso Batismo”, concluiu o Bispo de Roma seu discurso prévio à oração Mariana.

Finalmente, depois do Ângelus, Bento XVI recordou o batismo por ele realizado esta manhã a 13 crianças na Capela Sistina do Vaticano.




Comentários no Facebook:

comments