Ao receber bispos da Lituânia, Letônia e Estônia

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 23 de junho de 2006 (ZENIT.org).- A defesa da vida e da família foi uma das mensagens centrais que Bento XVI deixou nesta sexta-feira aos bispos da Lituânia, Letônia e Estônia.

Entre os muitos temas que o Papa, como ele mesmo reconheceu, queria tratar com os prelados, que concluíam sua qüinqüenal visita «ad limina apostolorum», ele se deteve «em um de grande atualidade», «a família».

«Junto a núcleos familiares exemplares, com freqüência há outros caracterizados, infelizmente, pela fragilidade dos laços conjugais, pela praga do aborto e pela crise demográfica», afirmou o Papa, após ter conversado pessoalmente com cada um dos bispos e lido os informes que lhe prepararam.

Motivos de preocupação para o bispo de Roma são também «a falta de atenção à transmissão de valores autênticos aos filhos», «a precariedade do trabalho», «a mobilidade social que debilita os laços entre as gerações» e «um crescente sentido de vazio interior nos jovens».

«Uma modernidade que não está arraigada em autênticos valores humanos está destinada a ser dominada pela tirania da instabilidade e pela perda de pontos de referência», assegurou.

«Por este motivo — continuou dizendo –, toda comunidade eclesial, com sua própria fé e apoiada pela graça de Deus, está chamada a ser um ponto de referência, e a dialogar com a sociedade na qual está integrada», afirmou.

«A Igreja, mestra de vida, extrai da lei natural e da Palavra de Deus esses princípios, que apresentam as bases irrenunciáveis para construir a família segundo o desígnio do Criador», sublinhou.

O Papa alentou os bispos a serem «sempre defensores valentes da família e da vida», e a continuarem com os esforços empreendidos «a favor da formação humana e religiosa dos namorados e das famílias jovens».

Veja tambem  «A fé é amiga da inteligência»

«Trata-se de uma obra sumamente meritória, e espero que seja apreciada e apoiada também pelas instituições da sociedade civil», reconheceu.




Comentários no Facebook:

comments