CRACÓVIA, domingo, 28 de maio de 2006 (ZENIT.org).- Ao percorrer neste sábado alguns dos lugares mais significativos na vida de Karol Wojtyla, Bento XVI deu espaço às confidências para confessar que também ele reza pela rápida beatificação de João Paulo II.

O Papa pronunciou suas espontâneas palavras no Santuário de Nossa Senhora de Kalwaria, lugar que o pequeno Karol costumava visitar em peregrinação, acompanhado por seu pai.

Pouco antes, o Papa havia visitado a casa da família Wojtyla e se havia encontrado nessa localidade, Wadowice, com pessoas que encheram a praça.

Entre outras aclamações, os peregrinos gritavam duas palavras que haviam aprendido em italiano «Santo subito» (Santo já).

A presença junto ao Papa do cardeal Stanislaw Dziwisz, antigo secretário de João Paulo II e atual arcebispo da Polônia, fez que as lembranças fossem mais intensas.

Falando em italiano, o Papa disse ao final de sua breve saudação no santuário: ?Quero dizer, eu também, como o querido cardeal Stanislaw: ?espero que a Providência conceda logo a beatificação e a canonização de nosso querido Papa João Paulo II??.

Também em Wadowice, ao dirigir-se aos milhares de fiéis, o Papa disse que tinha querido visitar esse lugar «para rezar, junto convosco, para que ele logo seja elevado à glória dos altares».

Ao explicar os motivos de sua presença nesses lugares, citando ao poeta alemão Johann Wolfgang von Goethe, acrescentou: «Quem quiser compreender um poeta, deve visitar seu povo».

«Aqui, em Wadowice, ?começou tudo?», disse, citando uma expressão do próprio Karol Wojtyla ao visitar esse lugar em 16 de junho de 1999.




Comentários no Facebook:

comments

Veja tambem  Bento XVI destaca universalidade e multiplicidade da Igreja