1. «Não julgueis, e não sereis julgados.

2. De facto, sereis julgados com o mesmo julgamento com que julgardes e sereis medidos com a mesma medida com que medirdes.

3. Porque olhas para o argueiro no olho do teu irmão e não prestas atenção à trave que está no teu próprio olho?

4. Ou, como te atreves a dizer ao irmão: "Deixa-me tirar o argueiro do teu olho", quando tu mesmo tens uma trave no teu?

5. Hipócrita, tira primeiro a trave do teu próprio olho, e então verás bem para tirar o argueiro do olho do teu irmão».

6. «Não deis aos cães o que é santo, nem atireis pérolas aos porcos; eles poderiam pisá-las com os pés e, virando-se, despedaçar-vos».

7. «Pedi e ser-vos-á dado! Procurai e encontrareis! Batei e abrir-vos-ão a porta!

8. Pois todo aquele que pede, recebe; quem procura, acha; e a quem bate, a porta será aberta.

9. Quem de vós dá ao filho uma pedra, quando ele pede um pão?

10. Ou lhe dá uma cobra, quando ele pede um peixe?

11. Se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o vosso Pai que está no Céu dará coisas boas aos que Lhas pedirem!».

12. «Tudo o que desejais que os outros vos façam, fazei-o também a eles. Pois nisso consistem a Lei e os Profetas».

13. «Entrai pela porta estreita, porque é larga a porta e espaçoso o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela!

14. Como é estreita a porta e apertado o caminho que leva à vida, e são poucos os que o encontram!».

15. «Cuidado com os falsos profetas: apresentam-se vestidos com peles de ovelha, mas por dentro são lobos ferozes.

16. Conhecê-los-eis pelos seus frutos. Acaso colhem-se uvas de espinheiros ou figos de urtigas?

17. Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz maus frutos.

18. Uma árvore boa não pode dar frutos maus, e uma árvore má não pode dar bons frutos.

19. Toda a árvore que não der bons frutos será cortada e lançada ao fogo.

20. Pelos frutos é que os conhecereis».

21. «Nem todo aquele que Me diz "Senhor, Senhor", entrará no Reino do Céu. Só entrará aquele que põe em prática a vontade do meu Pai que está no céu.

22. Naquele dia muitos Me dirão: "Senhor, Senhor, não foi em teu nome que profetizámos? Não foi em teu nome que expulsámos demónios? E não foi em teu nome que fizemos tantos milagres?"

23. Então, dir-lhes-ei: Nunca vos conheci. Afastai-vos de Mim, malfeitores!».

24. «Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática é como o homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha.

25. Caiu a chuva, vieram as enxurradas, os ventos sopraram com força contra a casa, mas a casa não caiu, porque fora construída sobre a rocha.

26. Por outro lado, quem ouve estas minhas palavras e não as põe em prática é como o homem sem juízo, que construiu a sua casa sobre a areia.

27. Caiu a chuva, vieram as enxurradas, os ventos sopraram com força contra a casa, e a casa caiu, e a sua ruína foi completa!».

28. Quando Jesus acabou de dizer estas palavras, as multidões ficaram admiradas com o seu ensinamento,

29. porque Jesus ensinava como alguém que tem autoridade e não como os doutores da Lei.






“Mesmo a menor transgressão às leis de Deus será levada em conta.” São Padre Pio de Pietrelcina

Newsletter

Receba as novidades, artigos e noticias deste portal.