1. Irmãos, lembro a vocês o Evangelho que lhes anunciei, que vocês receberam e no qual permanecem firmes.

2. É pelo Evangelho que vocês serão salvos, contanto que o guardem do modo como eu lhes anunciei; do contrário, vocês terão acreditado em vão.

3. Por primeiro, eu lhes transmiti aquilo que eu mesmo recebi, isto é: Cristo morreu por nossos pecados, conforme as Escrituras;

4. ele foi sepultado, ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras;

5. apareceu a Pedro e depois aos Doze.

6. Em seguida, apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma só vez; a maioria deles ainda vive, e alguns já morreram.

7. Depois apareceu a Tiago e, em seguida, a todos os apóstolos.

8. Em último lugar apareceu a mim, que sou um aborto.

9. De fato eu sou o menor dos apóstolos e não mereço ser chamado apóstolo, pois persegui a Igreja de Deus.

10. Mas aquilo que sou, eu o devo à graça de Deus; e sua graça dada a mim não foi estéril. Ao contrário: trabalhei mais do que todos eles; não eu, mas a graça de Deus que está comigo.

11. Portanto, aí está o que nós pregamos, tanto eu como eles; aí está aquilo no qual vocês acreditaram.

12. Ora, se nós pregamos que Cristo ressuscitou dos mortos, como é que alguns de vocês dizem que não há ressurreição dos mortos?

13. Se não há ressurreição dos mortos, então Cristo também não ressuscitou;

14. e se Cristo não ressuscitou, a nossa pregação é vazia e também é vazia a fé que vocês têm.

15. Se os mortos não ressuscitam, então somos testemunhas falsas de Deus, pois estamos testemunhando contra Deus, ao dizermos que Deus ressuscitou a Cristo.

16. Pois, se os mortos não ressuscitam, Cristo também não ressuscitou.

17. E se Cristo não ressuscitou, a fé que vocês têm é ilusória e vocês ainda estão nos seus pecados.

18. E desse modo, aqueles que morreram em Cristo estão perdidos.

19. Se a nossa esperança em Cristo é somente para esta vida, nós somos os mais infelizes de todos os homens.

20. Mas não! Cristo ressuscitou dos mortos como primeiro fruto dos que morreram.

21. De fato, já que a morte veio através de um homem, também por um homem vem a ressurreição dos mortos.

22. Como em Adão todos morrem, assim em Cristo todos receberão a vida.

23. Cada um, porém, na sua própria ordem: Cristo como primeiro fruto; depois, aqueles que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda.

24. A seguir, chegará o fim, quando Cristo entregar o Reino a Deus Pai, depois de ter destruído todo principado toda autoridade, todo poder.

25. Pois é preciso que ele reine, até que tenha posto todos os seus inimigos debaixo dos seus pés.

26. O último inimigo a ser destruído será a morte,

27. pois Deus tudo colocou debaixo dos pés de Cristo. Mas, quando se diz que tudo lhe será submetido, é claro que se deve excluir Deus, que tudo submeteu a Cristo.

28. E quando todas as coisas lhe tiverem sido submetidas, então o próprio Filho se submeterá àquele que tudo lhe submeteu, para que Deus seja tudo em todos.

29. Se não fosse assim, o que ganhariam aqueles que se fazem batizar em favor dos mortos? Se os mortos realmente não ressuscitam, por que se fazer batizar em favor deles?

30. E nós mesmos, por que nos expomos ao perigo a todo momento?

31. Diariamente estou correndo perigo de morte, tão certo, irmãos, quanto são vocês a minha glória em Jesus Cristo nosso Senhor.

32. Para mim, de que teria adiantado lutar contra os animais em Éfeso, se eu tivesse apenas interesses humanos? Se os mortos não ressuscitam, comamos e bebamos, pois amanhã morreremos.

33. Não se deixem iludir: as más companhias corrompem os bons costumes.

34. Voltem a viver a vida séria e correta; e não pequem. Pois alguns de vocês ignoram tudo a respeito de Deus. Digo isso para que vocês sintam vergonha.

35. Todavia, alguém dirá: "Como é que os mortos ressuscitam? Com que corpo voltarão?"

36. Insensato! Aquilo que você semeia não volta à vida, a não ser que morra.

37. E o que você semeia não é o corpo da futura planta que deve nascer, mas simples grão de trigo ou de qualquer outra espécie.

38. A seguir, Deus lhe dá corpo como quer: ele dá a cada uma das sementes o corpo que lhe é próprio.

39. Nenhuma carne é igual às outras: a carne dos homens é de um tipo, a dos animais é de outro, e de outro a dos pássaros e de outro ainda a dos peixes.

40. Há corpos celestes e há corpos terrestres. O brilho dos celestes, porém, é diferente do brilho dos terrestres.

41. Uma coisa é o brilho do sol, outra o brilho da lua, e outra o brilho das estrelas. E até de estrela para estrela a diferença de brilho.

42. O mesmo acontece com a ressurreicão dos mortos: o corpo é semeado corruptível, mas ressuscita incorruptível;

43. é semeado desprezível, mas ressuscita glorioso; é semeado na fraqueza, mas ressuscita cheio de força;

44. é semeado corpo animal, mas ressuscita corpo espiritual. Se existe um corpo animal, também existe um corpo espiritual, pois a Escritura diz que

45. Adão, o primeiro homem, tornou-se um ser vivo, mas o último Adão tornou-se espírito que dá a vida.

46. Primeiro, não foi feito o corpo espiritual, mas o animal, e depois o espiritual.

47. O primeiro homem foi tirado da terra e é terrestre; o segundo homem vem do céu.

48. O homem feito da terra foi o modelo dos homens terrestres; o homem do céu é o modelo dos homens celestes.

49. E assim como trouxemos a imagem do homem terrestre, assim também traremos a imagem do homem celeste.

50. Eu lhes digo, irmãos, que a carne e o sangue não podem receber em herança o Reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorruptibilidade.

51. Vou dar a conhecer a vocês um mistério: nem todos morreremos, mas todos seremos transformados,

52. num instante, num abrir e fechar de olhos, ao som da trombeta final. Sim, a trombeta tocará e os mortos ressurgirão incorruptíveis; e nós seremos transformados.

53. De fato, é necessário que este ser corruptível seja revestido da incorruptibilidade, e que este ser mortal seja revestido da imortalidade.

54. Portanto, quando este ser corruptível for revestido da incorruptibilidade e este ser mortal for revestido da imortalidade, então se cumprirá a palavra da Escritura: "A morte foi engolida pela vitória.

55. Morte, onde está a sua vitória? Morte, onde está o seu ferrão?"

56. O ferrão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.

57. Graças sejam dadas a Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.

58. Assim, queridos irmãos, sejam firmes, inabaláveis; façam continuamente progressos na obra do Senhor, sabendo que a fadiga de vocês não é inútil no Senhor.









“Mantenha-se sempre muito unido à Igreja Católica, pois somente ela pode lhe dar a verdadeira paz, porque somente ela possui Jesus Sacramentado que é o verdadeiro príncipe da paz.” São Padre Pio de Pietrelcina

Newsletter

Receba as novidades, artigos e noticias deste portal.